SharePoint – Um caso de sucesso, empresa Biotec

Abaixo segue o case da empresa BIOTEC, fundada em 2008, tem objetivo de atender ao monitoramento das emissões atmosféricas e vem diversificando sua área de atuação abrangendo outros setores do mercado. A empresa estava sem catálogo on-line, sem relacionamento,sem suporte com o cliente, dificuldade de organização. Com a proposta do site, oferecida pelo SharePoint, a empresa ficou em destaque em sites de busca, aumentou o número de clientes e agora a Biotec consegue expor seu trabalho e seus serviços.

Fonte: http://www.biotecrs.com.br/

Anúncios

SharePoint, produtos e curiosidades!

Apresentação dos produtos e tecnologias do SharePoint:

(Criei um link com um modelo de convite de aniversário (que aprendi com a pesquisa), para as mamães da sala, o SharePoint além de muito útil na vida corporativa, também possui muitas facilidades no dia-a-dia, confiram! Convite )

  • SharePoint On Line – Um serviço baseado em nuvem e hospedado pela Microsoft para empresas de todos os portes. Em vez de instalar e implantar o SharePoint Server no local, agora qualquer empresa pode simplesmente assinar um plano do Office 365 ou o serviço autônomo do SharePoint Online, e seus funcionários poderão criar sites a fim de compartilhar documentos e informações com colegas, parceiros e clientes.
  • SharePoint Foundation – A tecnologia subjacente para todos os sites do SharePoint. O SharePoint Foundation (antigo Windows SharePoint Services) é gratuito para implantação local. Você pode usar o SharePoint Foundation para criar diversos tipos de sites, onde é possível colaborar em páginas da Web, documentos, listas, calendários e dados.
  • SharePoint Server – As organizações podem implantar e gerenciar o SharePoint Server no local. Ele inclui todos os recursos do SharePoint Foundation, além de outros recursos, como o Gerenciamento de Conteúdo Corporativo, business intelligence, pesquisa corporativa, sites pessoais e News feed.
  • SharePoint Designer 2013 – Um programa gratuito para criação de soluções avançadas habilitadas para fluxo de trabalho, e para edição de tipos de conteúdo externo de uma solução de dados externa baseada nos Serviços Corporativos de Conectividade.
  • Sincronização de pastas do OneDrive for Business  – Um programa de área de trabalho que você pode utilizar para sincronizar uma versão offline de um site de equipe ou biblioteca do OneDrive for Business para uma pasta em seu computador.

Fonte: https://support.office.com/pt-br/article/O-que-%C3%A9-o-SharePoint-97b915e6-651b-43b2-827d-fb25777f446f?ui=pt-BR&rs=pt-BR&ad=BR

Estou compartilhando o vídeo oficial de apresentação do SharePoint, está em inglês mas fácil de interpretar. Espero que gostem!

SharePoint, conheça suas facilidades!


SharePoint é um aplicativo web da Microsoft, lançado em 2001, combina várias funções que são aplicações tradicionalmente separadas: intranet, gerenciamento de conteúdo, gerenciamento de documentos, nuvem pessoal, redes sociais corporativas, pesquisa empresarial, business intelligence, gestão de fluxo de trabalho, gerenciamento de conteúdo web, etc. Você pode usá-lo como um lugar seguro para armazenar, organizar, compartilhar e acessar informações de praticamente qualquer dispositivo. Tudo que você precisa é de um navegador, como o Internet Explorer, Chrome ou Firefox.

Servidores SharePoint têm tradicionalmente sido implantado para uso interno em empresas de médio porte e grandes departamentos ao lado da Microsoft Exchange, Skype for Business, e Servidor de Aplicativos Web do Office; mas o software da Microsoft “Office 365” como uma oferta de serviços (que inclui uma versão do SharePoint) levou ao aumento da utilização do SharePoint em organizações menores.

Em resumo, estamos falando de uma família de produtos que a Microsoft disponibiliza para trabalharmos melhor em conjunto e aplicar todo conceito de colaboração nas empresas. (E também nas aulas de MBA, como exemplo o blog que estamos utilizando para compartilhar as pesquisas)

Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/SharePoint

Fonte: https://support.office.com/en-us/article/What-is-SharePoint-97B915E6-651B-43B2-827D-FB25777F446F

e-Learning! Insucesso/fracasso e suas causas.

insucesso-marketing-redeO e-Learning é uma prática já bastante difundida em muitas organizações, sejam elas corporativas ou acadêmicas, mas mesmo depois de tantos anos de aplicação ainda é comum encontrar iniciativas em que os resultados ainda não foram os esperados ou em que o projeto simplesmente não vingou.

Ninguém discutirá mais a importância do conteúdo e o seu impacto positivo ou negativo dentro de uma iniciativa de educação via Internet. A tecnologia também é um tema que quase sempre recebe uma grande atenção, e em alguns casos até de forma excessiva.

Em muitos casos o que acaba prejudicando o projeto e o seu potencial é uma gestão falha. Aqui no Brasil principalmente, é comum encontrar profissionais em grandes organizações que recebem a missão de gerenciar o projeto de e-Learning, mas que na realidade não deixam de lado outras responsabilidades, ou seja, o e-Learning passa a ser mais uma dentre várias atribuições.

Além de não receber a atenção necessária, o projeto também pode sofrer pela falta de experiência e/ou competência de quem está com a missão de conduzi-lo. Por isso, é essencial que a organização compreenda a importância de tratar a iniciativa de e-Learning da mesma forma como outros projetos relevantes são tratados.

Falha em e-Learning pode ocorrer em três níveis interligados:

O nível do produto (design inadequado do curso, infra-estrutura tecnológica inadequada);

O nível do aprendiz (aprendizes inadequadamente preparados, falta de motivação e falta de tempo);

O nível organizacional (falta de suporte gerencial, falta de um adequado sistema de recompensas) (Phillips, 2002).

Phillips apresenta um modelo das fontes de fracasso em projetos de e-Learning da seguinte forma:

Nível de Produto

  •  Design inadequado do curso (muita teoria e informação, com pouca aplicação ao mundo real, etc.)
  •  Design inadequado do E-ambiente (navegação complexa, chats que não funcionam, interfaces horríveis)
  • Tecnologia que não funciona (má qualidade de áudio ou vídeo, downloads interrompidos, etc.)
  •  Má gestão das interações pedagógicas e sociais no curso (falta de orientação ou de treinamento dos moderadores virtuais)
  • Lentidão no processo de interação entre alunos e instrutores/monitores.

Nível do Aprendiz (O Contexto Interno)

  •  Falta de tempo para estudar
  • Pouco interesse no conteúdo do curso
  • Pouca motivação para aprendizagem
  • Habilidades inadequadas de auto-estudo e gestão de tempo
  • Falta das “E-habilidades” necessárias (download de arquivos, uso de e-mail e listas de discussão, etc.)
  • Resistência à perda dos “prêmios” do ensino presencial (contato social, amizades, viagens, almoços, etc.)

Nível da Organização (O Contexto Externo)

  • Marketing inadequado dos cursos e eventos
  • Falta de uma estrutura clara de recompensas e benefícios de participação
  • Falha de providencia de um ambiente e equipamentos de aprendizagem de qualidade adequada
  • Falha de providencia de feedback gerencial e apoio de aprendizagem adequados
  • Falha de providencia de tempo adequado para aprendizagem em serviço
  • Falha geral na organização de uma cultura que valorize a aprendizagem
  • Mandato obrigatório de usar e-Learning para toda aprendizagem; retirada de todos os outros métodos
  • Falha em “casar”, de forma adequada, os métodos de treinamento com os objetivos pretendidos.

Na pesquisa analisada, esta lista de causas de fracasso foi a que se mais aproximou de uma análise sistêmica e abrangente de projetos de e-Learning e das possíveis fontes de problemas. Apesar de que esta análise foi apresentada na forma de três subsistemas, ou “níveis”. Entretanto, muitos outros itens podem ser acrescentados à lista. Apenas pela referência aos outros artigos analisados para preparar a atual revisão de literatura, podemos criar uma lista com duas vezes mais causas comprovadas de fracasso.

Vou deixar alguns links para quem tiver interesse em se aprofundar nas causas de insucesso do e-Learning:

Dicas para uma gestão eficaz com e-Learning

Artigo sobre o futuro do e-Learning

Case de sucesso: e-Learning empresa TAM linhas aéreas

A TAM Linhas Aéreas tem um dos casos mais bem-sucedidos de e-Learning do Brasil, com um modelo consolidado e estratégico que atende todas as áreas de negócio da companhia e até mesmo empresas do mesmo setor. A atuação tem alcance internacional, sendo oferecido, em outros idiomas, aos colaboradores de suas bases em 14 países.

Tudo começou em 2005 com o treinamento de terceiros (agentes de viagem) e, após o sucesso do projeto, a metodologia foi incorporada para capacitar e desenvolver os próprios colaboradores. Em 2012, foram emitidos mais de 180 mil certificados, entre cursos obrigatórios, desejáveis e livres.

Em entrevista à webAula, Melissa Casagrande, Gerente de Treinamento da TAM, fala sobre o histórico, o presente e os planos para o futuro do e-learning na companhia.

Leia a entrevista na íntegra: Melissa Casagrande