Saiba mais sobre Redes Sociais Corporativas

As mídias sociais fazem parte da nossa vida, e com a tecnologia se inovando cada vez mais as organizações buscam ferramentas para otimizar o seu tempo e motivar as novas ideias e participação de todos dentro da empresa. Buscando isso surgiu as redes sociais corporativas, um canal que interage e encoraja todos a dar opiniões e trocar conhecimentos e experiências. Para saber mais assista ao vídeo com o diretor de Marketing e Comunicação da IBM Brasil, Mauro Segura.

Anúncios

Redes Sociais Corporativas

Quando falamos sobre o tema organizações que aprendem, colaboração, inovação, logo se pensa no assunto do momento – as redes sociais! Após a febre das redes para uso pessoal e também as redes sociais específicas utilizadas para networking, aparece uma nova modalidade mais conhecida como redes sociais corporativas. Foram Inspiradas nos sites de relacionamento comerciais, como Facebook e Twitter, elas contém uma série de características inovadoras, que podem contribuir para a comunicação entre os funcionários.

 

O que é uma rede social corporativa?

Redes sociais são plataformas online que reúnem pessoas em torno de um interesse. Já as redes sociais corporativas reúnem também em uma plataforma online profissionais, clientes, fornecedores e parceiros. Em alguns casos, as redes sociais corporativas reúnem apenas os profissionais dentro da organização, sem expandir o acesso para fora da empresa. Cada colaborador conta com um perfil na ferramenta, no qual é possível publicar informações, vídeos, fotos, criar eventos, iniciar debates e criar vínculos com outros colaboradores, complementando as intranets.

Uma rede social corporativa é considerada um instrumento estratégico voltado para o ambiente de trabalho e utilizado principalmente para auxiliar na comunicação interna. A sua principal característica é a rapidez com que dissemina informações quando comparado a outros veículos internos. Além disso, proporcionam uma plataforma colaborativa de trabalho e uma importante fonte de aprendizado para os integrantes de uma organização. Além de proporcionar um ambiente mais integrado, outra característica que ajuda a definir o que é rede social corporativa é o estímulo ao colaborativismo. A ferramenta pode comportar discussões sobre produtos, processos e serviços da organização, encontrando soluções com a ajuda da equipe. Com as contribuições dos colegas, a inovação fica muito mais próxima da organização.

Outras vantagens relacionadas à utilização das redes sociais corporativas são o ganho de velocidade na execução de processos internos e a facilidade de acesso. É um meio que encoraja a participação, a interação e o compartilhamento de informação entre os integrantes e pode contribuir ainda para diminuição do rigor imposto pela hierarquia, visto em algumas organizações. Proporcionando assim um caminho mais aberto para a implantação de uma gestão mais participativa. As interações entre os colegas geram também um grande banco de dados interno, com registro automático nos servidores da ferramenta. Se o RH busca um colaborador com uma competência específica, ele pode pesquisar dentro da rede social corporativa quem tem essa aptidão, por exemplo. Os gestores também podem usar a solução para armazenar informações relevantes, como escalas de trabalho e comunicados, facilitando o acesso dos funcionários.

Redes sociais corporativas, no entanto, não substituem o essencial ­contato face a face com os integrantes e o convívio social presente nas relações do trabalho. E exatamente por se tratar de um espaço de livre comunicação, ela necessita de certo acompanhamento. A autonomia dada aos integrantes com acesso à ferramenta também tem potencial para evidenciar insatisfação e acentuar conflitos internos. Cabe a organização executar o papel de moderação dessa rede social. Implementar uma rede social corporativa pode requerer um certo período para adaptação e aprendizado. Engajar figuras de liderança, desenvolver orientações de uso e o respeitar a cultura.

Muitos gestores ainda pensam que essas ferramentas podem atrapalhar, dada a semelhança com os sites de relacionamentos. Porém, é possível adaptar essas soluções aos interesses da organização. Utilizada corretamente, as redes sociais corporativas estimulam a produtividade. Elas podem reduzir o uso de e-mail e telefone, gerando economia de tempo e de dinheiro. Além disso, uma fonte de informações oficial faz com que os colaboradores da empresa fiquem mais conectados com as novidades, o que poupa tempo e deixa o trabalho mais assertivo.

Case de sucesso: TV Corporativa CPFL Energia

Colaborar com uma empresa que pensa em seus colaboradores faz toda a diferença na qualidade de vida e integração (pessoal e profissional) de uma pessoa.

Para mim, pensar nos colaboradores é dar voz a eles na medida certa! É fornecer informação na medida certa! E é garantir que eles tenham orgulhos de pertencer e vestir a caminha daquela organização. É valorizar os colaboradores para que estes contagiem o público consumidor.

Atualmente trabalho em uma companhia que possui várias formas de encantar o colaborador pelo endomarketing e pela referência nacional no setor e esta companhia possui uma TV Corporativa. Uma TV Corporativa que passa informação de forma consistente e em uma linguagem que atinge todos os públicos, que valoriza todas as áreas da empresa através de reportagens e notícias, que dá visibilidade aos colaboradores e essa, é outra forma de valorizá-lo internamente e proporcionar que todos contribuam com conhecimento e façam parte dessa ferramenta. A gestão dela é pela diretoria de relações institucionais, na área de comunicação interna e isso garante a governança do processo e análise de pautas por um profissional qualificado e que tem visão sistêmica de toda organização.

Neste 3 anos que estou lá, já aprendi muito através das matérias e do mural digital.

Segue abaixo alguns vídeos que foram passados na TV Corporativa e que expandiram para as redes sociais como forma de transparência e de informação sobre o setor de energia:

Nos 100 anos da CPFL:

Programa Preseva – Pensando nos impactos ambientais, a CPFL adota normas e boas práticas:

Lançamento do livro: “Insights de um RH Estratégico” em 2013. Esse post está no site de Alfredo Bottone que foi Diretor de RH do grupo CPFL até 2013: clique aqui para saber mais.

Quer saber mais sobre o início da TV Corporativa da CPFL? Essa ideia surgiu a partir da parceria com a FACAMP, dos alunos de jornalismo: clique aqui.

Esse é um exemplo e um caso de sucesso de TV Corporativa!

Caso de Sucesso em Rede Social Corporativa – BOSCH

bosch

A liderança da multinacional alemã percebeu que precisava inovar na maneira como se comunicava com seus quase 300 000 funcionário. O alerta veio com a descoberta de que muitos profissionais na matriz, em vez de usar o e-mail corporativo, por praticidade estavam trocando mensagens sobre o trabalho em diferentes redes sociais, o que tornou-se um risco à segurança da organização.

De acordo com Ellen Silva, gerente de marketing e mídias digitais da Bosch, “Os funcionários exigem hoje uma comunicação mais dinâmica da empresa, e a rede social tem se provado um canal excelente para isso”. A partir dessa demanda em setembro de 2013 a Bosch usou uma plataforma da empresa de tecnologia IBM para lançar a sua própria rede social, o que não exigiu nenhum treinamento para ser usada pelos funcionários porque tem um formato muito semelhante ao das redes sociais pessoais.

Nela, os funcionários da empresa criam grupos de discussão, postam em seu perfil informações que devem priorizar, como, por exemplo, como o prazo de entrega de um projeto e também trocam mensagens, o que fez com que, em menos de dois anos de uso da ferramenta, o volume de troca de e-mails tivesse diminuído 25%.

Um dos exemplos da vantagem de se utilizar das redes sociais foi quando a rede foi utilizada pela área de tecnologia para estimular 300 colaboradores a fazer uma limpa no conteúdo armazenado em seus computadores. A faxina liberou espaço nos servidores e gerou uma economia de 70.000 reais!!! A vantagem da ferramenta fica ainda mais evidente quando comparada a mesma ação no ano anterior na companhia. Quando os funcionários foram lembrados por cartazes ou e-mail ao invés das redes sociais corporativas, já que a ação resultou numa economia de apenas 20.000 reais.